22 fevereiro 2011

Marvão - BTT Raiano (Dia D - 4)

"Carabineros, carabineros"

Tenho andado à procura de uma passagem sobre o Sever que me permita encurtar o percurso. Por uma razão, que agora percebi, não existem passagens óbvias.
Deve-se ao facto de nesta zona, à semelhança do que se passava em toda a raia, o contrabando, neste caso sobretudo de café, ter sido durante várias décadas uma actividade económica de grande importância, com repercussões na vida quer do lado português quer do lado espanhol.

Neste texto, sobre o contrabando na raia alentejana e as suas vicissitudes, relatadas na primeira pessoa por um protagonista desses tempos, surgiu uma explicação óbvia.

"... o rio Sever é corrente refrescante e também mote a muitas histórias. «Quantas vezes não ficámos aqui, junto ao rio, à espera que baixasse para podermos passar. Não podíamos ter ajudas nenhumas no rio, senão os guardas identificavam os trilhos e aí estávamos tramados», diz José Cristino ...".

Pois é, em bem vasculho o google e a cartografia disponibilizada no site da CM de Marvão, mas não encontro evidências de passagens a vau e muito menos de pontes. O mais parecido que encontrei é uma zona onde existem caminhos muito perto do rio, em ambos os lados. Resta saber se o rio me permitirá passar a vau ou, tal qual contrabandista em versão modernaça de bicicleta às costas terei, não de espreitar a passagem da Guarda Fiscal e dos Carabineros, mas de me fazer ao rio e verificar a sua temperatura. Pode ser que a minha burra seja mais rápida e não seja apanhado.


Os trilhos do contrabando são um recurso turístico importante e têm desenvolvimentos importantes em todas as zonas fronteiriças desde o Minho ao Algarve. Deixo-vos alguns links :
Caminhos do contrabando.
Marvão. Nos trilhos do contrabando

4 comentários:

João Tremoceiro disse...

O homem está cá com uma pica ....

Pirex disse...

Já fazias falta Paulo. Esta parte enriquece muito este blog.
Vais ver que vais gostar da volta :)
Abraço
Pirex

Brites disse...

Paulo,
Tenho a certeza que existe uma passagme numa ponte meio artesanala. Só que a ponte está a uma cota muito baixa e como tal, não sei se não estará submersa nesta estação do ano.
Vou enviar-te uma foto que tirei nessa ponte.
Abraço,
Ass: Trinca-Tudo
Luis Brites

PLnauta disse...

Viva luis,

já encontrei tb umas imagens. Os espanhois chamam-lhes "passaderos" e existem junto ao moinho de la Luna.

Em principio vou-me pisgar de espanha por aí. A não ser que me sinta terrivelmente bem ....

pl