08 fevereiro 2011

Bucelas - A verdadeira História

Acho que nenhuma volta dos Trinca-Pedras alguma vez tinha recebido tantos Posts de uma só vez... Este facto atesta bem a qualidade da volta realizada no passado domingo... Foi de facto um volta com direito a uma classificação de 5 estrelas...

Óbviamente que quando lá andamos a pedalar, não achamos assim tanta piada às subidas... Especialmente quando as pernas começam a doer, as forças a acabar, o calor começa a apertar e a vontade de bater no JT, aumenta à medida que curva após curva, em lugar de atingirmos o cimo da subida, vislumbramos a continuação da mesma... Claro está que depois de atingirmos o cimo da subida, sentimos uma sensação única de... de... Bem... Só sentindo... E vivendo... É espetacular... Ainda mais quando a paisagem que se observa, faz esquecer todo o esforço e dificuldade para vencer a subida...

Esta foi uma volta bastante dura, devido em vários aspectos... Em primeiro lugar, devido ao frio que se fazia sentir no inicio da volta... Cerca de 0º... Começar a pedalar com esta temperatura, não favorece absolutamente nada a pedalada... Em segundo lugar, porque foi composta por 4 exigentes subidas... Umas mais compridas que outras, umas com maior ou menor inclinação, no entanto, atribuo um grau de dificuldade igual para cada uma delas... Por último, a extensão, que não sendo muita, a dificuldade das subidas, tornou a volta mais exigente...

Mas é quando as coisas são dificeis que tem um sabor especial depois de conquistadas... Para somar a este facto, a beleza natural das paisagens que observamos... Foram a cereja no topo do bolo... Pessoalmente não imaginava que num local tão próximo de Lisboa e com tantos eixos rodoviários na sua proximidade, pudessem esconder uma beleza natural tão espetacular... Só lá estando para apreciar... Contando, não consigo encontrar palavras...

Esta volta começou logo no sábado à tarde... Chamada do Tremoceiro:
"Luis, viste o meu mail? Não, qual mail? Ok, eu explico-te! Tenho o meu pedaleiro desapertado! Sim, então vais a uma oficina? Não, combinei com o Pirex ir amanhã meia hora mais cedo, para resolver o problema! OK, já percebi, não há problema! Sim, vais ter de acordar meia hora mais cedo!!! Quê???? :-)"
Portanto, Tiago não te queixes que acordaste muito cedo... :-)

Às 8h05m já o telefone tocava... O Pirex tinha chegado a Bucelas e já estava a perguntar onde andavamos... Mesmo à entrada de Bucelas, respondia o JT...

O termómetro marcava uns miseros +1º e o mostrador apresentava o simbolo de gelo... BRRRR... Estavam menos 12 ou 13 graus que em Alfragide quando saimos de casa...

O Pirex e o Nuno com o apoio do João Tuga, lá arranjaram o pedaleiro do JT... Mas a sentença seria ditada pelo Nuno e pelo Pirex: "JT, mais cedo ou mais tarde vais ter de entrar em despesas!" Isto para desânimo do JT, que começa a não achar muita piada a estes caprichos dos TPOs, que se lembram de trocar tudo e mais um par de botas na bicleta... Vejam bem, que o homem andava com bichas das mudanças há cerca de 5 anos, e na última sessão de manutenção, o Nuno ditou que se haveria de trocar a bicha das mudanças de trás... Que grande panasca este Nuno... Como não tem força nas mãos para meter as mudanças, lembrou-se que o melhor era trocar as bichas... (Tás a ver o resultado??? Tás??? O homem agora ainda pedala mais...)

Mas voltando ao tema do pedaleiro do JT, eu ainda sugeri aos TPOs que em lugar de óleo, metessem cola no pedaleiro... Para ver se o JT andava mais devagar... Chiça... O homem já cheira mal de tanto pedalar...

Por volta das 8h45m e para desespero do Rui, lá começamos a pedalar... As pernas recusavam-se a rodar... As orelhas congelavam... As gargantas reclamavam do ar frio que entrava pelas narinas congeladas... E ainda não refeitos do choque térmico, eis que surje um choque fisico... Ou melhor, uma violentação para o corpo... Uma subida em piso de cimento com uma inclinação de encostar o nariz ao guiador da bicicleta... Porra... Que violência... Como se não bastasse a dificuldade da subida, ainda sinto o JT na minha roda a fazer pressão no meu andamento... Ó cum caneco... O gajo já começa...

Paragem para umas fotos... Ainda nem tinhamos atingido 1/3 da subida...




Continuando a pedalada, saimos do piso em cimento para piso em terra batida... A terra batida foi gradualmente dando lugar a pedra solta... A inclinação foi aumentando... Uns seguiam com a bicicleta à mão... Outros (JT incluido) seguiam montados... Pensei... Este é o meu terreno... Tenho de fazer tudo montado... Atrás de mim, sentia a respiração ofegante do Pirex... O gajo esmerdou-se todo, mas desmontar é que nem pensar... LOL...

A certo ponto, o caminho terminava... Tivemos de carregar as burras à mão pela montanha acima... Literalmente... Parecia escalada com as biclas às costas... Mas BTT é isto mesmo... Faz parte... Apesar da parte final da subida, a paisagem quando chegamos ao cimo, fazia esquecer a subida ainda com os músculos a frio a queixarem-se do esforço... Muito fixe...


Depois de uma pequena paragem para reagrupar e para recolher o Paulo Lopes que se tinha antecipado na subida, retomamos o Track que o JT tinha traçado... Durante alguns kms e num sobe e desce constante, sempre pela cumeada da montanha, chegamos a uma zona privada, propriedade da Cimpor que tinha dois caminhos possiveis... Ou optavamos pela ida a Alverva/Alhandra, ou então iamos directo a Calhandriz do outro lado da Auto-Estrada. Claro que a maioria optou pela via mais comprida, no entanto, o Paulo antevendo a dificuldade, ficou-se por ali, e rumou a Calhandriz, para ser recuperado mais tarde pelo Grupo.

Assim, seguimos caminho até ao final da cumeada, muito próximo de um marco geodésico. E foi aqui que pudemos desfrutar de uma paisagem brutal... De cortar a respiração... Pena estar alguma névoa, porque a paisagem sobre o Rio Tejo e todo o Mar da Palha é simplesmente brutal... É daquelas paisagens que vale a pena repetir...


A partir daqui só nos restava uma opção... Descer até Alverca... E foi o que fizemos... Momento alto do dia, com uma descida de aproximadamente 2kms e muito divertida... Especialmente para quem gosta de descer depressa, como é o meu caso e do Jorge Matos...











Até Alhandra o percurso foi feito por asfalto, sendo que passamos por algumas populações e bairros da periferia de Alverca, bastante engraçadas... Numa delas, vimos uma quinta majestosa, com uma dimensão gigantesca... Devia ter umas 10 assoalhadas... No minimo... LOL...

Nas proximidades de Alhandra, começamos a subir mesmo por cima da fábrica da Cimpor em Alhandra... O inicio da subida foi calminho com o JT e o Rui na dianteira enquanto o pelotão rolava ligeiramente mais abaixo... Eu rolava a meio dos dois grupos, antes de me juntar ao JT e ao Rui... A dado momento o Rui quebrou e ficou para trás... Segui eu e o JT...

E foi aqui que ocorreu um episódio engraçado... A certo momento, o JT quis exibir a sua boa forma e vai dai... levanta o rabo do selim... E começa a pedalar em pé feito maluco... Pensei... Olha... O gajo quer descolar... E foi aí que decidi que até podia ter que comer merda, mas não o iria deixar descolar... E não é que tive de comer merda para o acompanhar???? Dasse... O homem tá...

A meio da subida, ainda tivemos tempo para uma fotos sobre Alhandra e já no topo, houve tempo para umas brincadeiras...


Já em pleno cume da montanha, apanhamos um single-Track com uma paisagem que em tudo fazia recordar a Serra D'Aire... Segundo o JT, esta serra possuia uma composição calcária, tal como a Serra D'Aire... (As coisas que estes gajos sabem... Chiça...)

Aqui fica um filme realizado pelo Zé do tal Single-Track...


Logo depois do Single-Track encontramos uns camaradas de pedalada que nos fizeram um pequeno resumo dos possiveis caminhos a seguir ali na zona... Ficamos com água na boca para voltarmos no futuro... Temos muita matéria prima para trabalhar...

Apanhamos então um caminho centenário, em calçada que tudo indica seria usado há 200 anos para ligar Lisboa ao Norte do País... Seria a via da Mala Posta? Talvez não, porque esta tinha um trajecto mais próximo do Litoral... Enfim... Espetacular... Ficamos todos com vontade de voltar a este troço da volta, para explorar com mais calma...

Bem, e quem sobe tem de descer, pelo que, tivemos uma pequena descida para recuperar... Mas as descidas nas voltas guiadas pelo JT não dão para saborear convenientemente... Fico sempre com a sensação que ele me está a enganar... É que após uma descida... Vem sempre um GRANDE subida... E como seria de esperar... Eu não estava enganado...

Confesso que foi a subida que me doeu mais... O video mostra porquê...

Já com alguns kms e subidas nas pernas, esta foi uma daquelas subidas que me deixa profundamente irritado... Por sorte, o JT estava já lá em cima, caso contrário, teria de me ouvir o tempo todo :-)

Bem, mas as subidas ainda não tinham terminado... Julgava eu que dali, seguiriamos directos para Bucelas, quando em São Tiago dos Velhos (ou algo assim do género), tivemos uma pequena paragem para decidir qual o rumo a seguir... Quase todos defendiam que deveriamos ir directos a Bucelas (tal o empeno...), enquanto OUTROS (aqui leia-se... o JT), defendia que o Track indicava para a direita, portanto, o melhor era seguir o Track... E não é que todos seguiram o JT?!?!?! Está-se mesmo a ver qual o resultado, não está???? Claro, mais uma PU... de uma subida... Daquelas que provocam alucinações... Quando isto acontece, começo a imaginar-me numa piscina daquelas nas Caraíbas, sentado no balcão do Bar e a beber um cocktail qualquer... Mas claro que isto são apenas alucinações provocadas pela falta de açucar no sangue...

Quando chegamos ao topo da subida, ali estava o JT com o Pirex com um ar muito descansado a atirarem rebuçados aos porcos... "Ah e tal... O percurso ainda continuava, mas como somos vossos amigos, vamos directos para os carros..." Fiquei com vontade de responder, mas depois senti que se abrisse a boca, esgotava as poucas forças que ainda me restavam e acabava por bater com o cromado no asfalto...

Chegamos ao carro por volta das 12h40m, com 40kms nas pernas, 1200mts e de acumulado e com o termómetro a registar quase 20º...

Claro está que depois de chegados ao carro, ninguém se lembra das subidas... Agora só no próximo domingo para partir a cabeça ao JT... :-)

Em resumo, que grande volta... É verdade que sofremos para vencer estas subidas, mas o resultado é compensador...

JT, espero que continues em grande forma e a surpreender-nos semana apos semana com estas voltinhas espetaculares...

Um abraço,

Ass: Trinca-Tudo
Luis Brites (PCCRB)

3 comentários:

João Tremoceiro disse...

Brites, ainda tenho lágrimas nos olhos de tanto rir. Espectacular post.
Comentário: porque raio é que o pessoal vai aos sssss nas subidas? Não sabem que o caminho fica mais comprido? Assim ficam cansados.

Pirex disse...

Brites, estás cada vez melhor :)
Olha sabes que mais. Foi um prazer partilhar esta nocturna contigo. grande post.
Abraço
Pirex

Anónimo disse...

Brites,
Sá hoje vi o post ... está fabuloso!
Abraço,
Tiago