22 março 2010

6 para 60 em Grandola

Isto podia ser um enigma, mas é muito simples. 6 bravos Trinca-Pedras alinharam para enfrentar a Magnifica Serra de Grândola.
O dia começou fechado e cheio de nevoeiro, o que prometia bom tempo e subida de temperatura. Levantamo-nos cedo e comparecemos á hora combinada na estação de serviço do fogueteiro. Partimos em comboio com destino á vila de Grândola. Estacionamos junto ao quartel dos Bombeiros que haveriam de nos facilitar o acesso aos banhos no regresso.

Lá nos aperaltamos e arrancamos conforme combinado. Destino: as magnificas matas da Serra e os seus tão falados trilhos. Como guia apenas um track de GPS que encontramos na NET e permitiu ao JT conduzir este grupo com grande mestria. Apenas vamos descontar um desvio logo no inicio e que nos custou muito tempo para reencontrar o percurso. Lição que já devia estar aprendida é que não vale a pena deixar o percurso quando se tem um objectivo.

E esta foi de facto a parte mais dura. Demos com muitos trilhos completamente destruídos impossibilitando mesmo o transito a veículos com tracção ás 4 rodas e obrigando-nos a desmontar demasiadas vezes. Só para terem uma ideia 3 horas depois de começar ainda só tínhamos 20 kms o que é manifestamente mau. Nunca tinha visto nada assim, fazia lembrar algumas imagens que vimos da enxurrada na Madeira. Árvores caídas e atravessadas pelos caminhos, autenticas crateras abertas onde cabiam carros, regos que mais pareciam trincheiras de guerra e a brita característica dos caminhos desapareceu para dar lugar á rocha nua que faz parte do subsolo.

Nada disto quebrou a boa disposição que o grupo carregava mas quando atingimos os 30 kms tivemos que tomar uma decisão. Continuar agarrados ao percurso original ou encurtar para que fosse possível chegar ao destino a horas decentes. Imperou o bom senso. Foi por esta altura que o tempo mudou e deixamos de ter bom tempo e calor para enfrentar uma borrasca com pingos grossos a caírem e algum frio. No céu ouviam-se trovoadas enormes. Mas passou tão rápido como chegou e voltamos a sentir o calor da primavera.

A parte da tarde revelou-se mais rolante mas os estragos já estavam feitos. As maquinas já não respondiam da mesma maneira por terem apanhado tanta água. Era frequente ouvir o metal a roçar no metal. As mudanças já não trabalhavam da mesma forma mas conseguimos levar as bikes até ao final. O Tuga que viu partir um raio da roda da frente conseguiu levar a bike ao fim sem mais estragos e a cena do dia foi quando o Rui se preparava para entrar numa ponte (e esta parte é irónica, pois ele é especialista neste tipo de estrutura) escorregou e atirou a bike para dentro do ribeiro. Vejam as fotos. Foi de partir a moca a rir.

Ainda houve mais alguns incidentes sem gravidade de maior como uma valente queda do tuga mais por desgaste do que por falta de jeito e que podia ter consequências. Este já sofria com falta de água e caminhava para a desidratação.
Regressados a Grândola e depois de tomar um banho retemperador nos bombeiros, fomos por indicação destes petiscar qualquer coisa antes do regresso a casa. Moelas, carne á alentejana, Cachola, Chouriça, Queijo, pão e azeitonas e a malta já estava pronta para outra…

Temos pena que os outros trinca não tenham podido vir, mas esperamos que venham ao próximo passeio.

Uma nota para os supostos organizadores que se baldaram á organização e nem se dignaram por informar o grupo denotando um grande desrespeito pelo grupo. Temos pena.

Um grande Obrigado aos bombeiros voluntários de Grândola pela simpatia em nos ceder os balneários.

As minhas fotos:











































































































Um abraço
Pirex

5 comentários:

João Tremoceiro disse...

Grande volta. A paisagem, vista agora sem o sofrimento de padalar, são ainda mais magnificas.
Grande reportagem Pirex.

Nuno Vilhena disse...

Parabéns a todos, apesar da dureza do terreno, aguentaram sem lamentos, com boa disposição, espirito de entreajuda e ainda poderam apreciar pedaços de paraíso que se encontraram na Serra de Grândola.

Abrs.

Nuno Vilhena

Pirex disse...

Eu também gostei muito. Agora venham as Minas de São Domingos e o Pulo do Lobo.
Abraço a todos
Pirex

Anónimo disse...

Somos os maiores e as bikes também.
Paisagens fabulosas.
E parabéns ao nosso guia JT que esteve bastante assertivo.
As dores ficam para recordar.

José Matos disse...

Boas Trincas,..., antes de mais.
Ora aqui está uma reportagem fotográfica ao mais alto nivel.Parabens Pirex.Tenho pena de não poder estar lá para ver ao vivo, pois gosto de coisas dificeis, e pelos vistos esta volta foi uma dessas, mesmo dificeis, mas não impossivel. Abraços JM