20 janeiro 2009

Entre a lama e o mar...

A aventura começou uns dias antes, o Boss decidiu passar umas noites a inventar um trajecto, daqueles que só ele se lembra e de que, com muito jeitinho, nos consegue convencer. Enviou um track GPS para entusiasmar a malta . Todos concordaram com a volta, houve até quem se lamentasse por não poder ir, depois lembrou-se a alterar o percurso “para ter menos alcatrão”, tudo bem! Teve o cuidado de avisar que ia estar um dia lindo, pouco nublado e sem vento.
Com meia hora de atraso e depois de ter ido até Torres Vedras, o Boss lá chegou ao local combinado, a Praia da Foz do Lizandro. O dia estava, frio, chuvoso e nublado o suficiente para não se conseguir ver mais do que 200 metros à frente do nariz. Risonho e bem disposto disse “ontem ainda alterei novamente o percurso, tem mais uns km e menos alcatrão”. Menos alcatrão?! Chamar aquilo menos alcatrão? Saímos da Foz do Lizandro no sentido de Sintra, antes de passar a ponte uma viragem brusca à esquerda e subam lá esta para aquecer.
Era de facto um troço para a aventura, alguém se lembrou de iniciar uma obra de sustentação de terras, quais soldados da 2ª grande Guerra saímos da trincheira com a bike às costas.




















Mais à frente rezei à Sra. Do Ó para que aquela aventura corresse bem, pressentia algo mas não sabia o quê. Quem é que se lembra de, em pleno mês de Janeiro depois de semanas de chuva desenhar um trajecto paralelo a um rio, num vale que inunda frequentemente (como aliás se pode ver nas marcas registadas na casa da santinha)? O Boss, claro!




Entre risos de ira lá íamos progredindo por estradões de lama que nos agarravam as pernas até aos joelhos. O único que estava mesmo a gostar deste miminho era o Zé, e assim ficou baptizado como Trinca Pocinhas.


O Boss, com as orelhas a ferver seguia centenas de metros à nossa frente, não me lembro de o ver a andar tão depressa. Atravessamos o Rio Lizandro um sem numero de vezes, a aguá gelada levava-nos a lama dos ossos e punha a descoberto a transmissão da bike. Demora-mos hora e meia para fazer 7km.

No final deste lamaçal, enveredamos por uma subida trialeira, e a malta estava feliz, quanto mais subíamos mais descansados ficávamos, aquele calvário ficava mais longe de nós. Reagrupamos para ingerir alguma comida e desabafar com o Boss!
Seguimos alguma centenas de metros por alcatrão entre aldeias saloias até enveredarmos por terra batida em direcção a S. João das Lampas.


Iríamos seguir por vales lindíssimos com trilhos variados e divertidos mas o tempo não estava a colaborar, o nevoeiro cerrado obrigava-nos a concentrar as atenções na condução e no GPS, ao fim de 20km lá entramos no trilho inicialmente previsto e, podia agora, testar as minha aptidões para o uso de tão viciante ferramenta.

A nevrinha que caia não dava tréguas e tornava estes trilhos rochosos em algo muito técnico, a progressão era mais lenta do que o esperado. Do mar apenas o som do monstro revolto que batia ferozmente na falésia.
Percorremos zonas que me são muito familiares, São Julião era o meu pico de Verão, longas tardes foram passadas a surfar estas ondas e no final aproveitava as rampas naturais da arriba para dar uns saltos de BMX. Foi das partes mais divertidas da manhã, os Trincas galgavam livremente por estas pistas junto à falésia salpincado de negro o nevoeiro costeiro.
Descemos por single track até à praia onde reagrupamos e preparamos-nos para fazer os últimos 5km da manhã. Seguimos junto à costa até chegar à Foz, o Nuno sugeriu que passássemos o rio a vau o João quase que o levou a sério e jogou-se quase de cabeça, por sorte não deu um mergulho.

Se tivesse mergulhado não tinha feito aquele trilho fantástico ao longo do rio em plena praia do Lizandro, uma óptima maneira de acabar esta volta que deve ser espectacular num dia soalheiro de Maio.

Até lá, boas trincadelas!

4 comentários:

JT disse...

Mais uma grande reportagem. Quem não foi, agora pelas fotos dá para ter uma ideia da coisa. Depois é só multiplicar por hora e meia de pura lama.
Foi um dia BTL.
A minha bicicleta, que lavei e lubrifiquei ainda no sábado, mal agradecida, ainda me rosna cada vez que me vê. Porque será?

PLnauta disse...

Com as fotos parece 10x pior.... lama, nevoeiro, chuva ... grande volta.

Pirex disse...

Hugo, vais ver que ainda editas o Blog em livro. Grande Post.

Tá quase man. :)

Abraço

Pirex

technology disse...

I will pass on your article introduced to my other friends, because really good!
wholesale jewelry