24 novembro 2008

Loures dos Cãos

Não fazia ideia do que iria encontrar em Loures http://viajar.clix.pt/geo.php?c=176&lg=pt, talvez uma incursão ao longo do rio Trancão para esticar as pernas pelas Lezirias, depois das últimas três aventuras estava a precisar. A malta da Póvoa da Galega (ainda sem o Pirex), eu e o Brites juntámo-nos a uns companheiros de Loures muito aficionados de BTT, o Chanoca, o João e o Álvaro. Feitas as apresentações começamos a rolar, precisamente no sentido oposto ao qual eu me tinha mentalizado. Já no meio das hortas, no coração da cidade de Loures, ganhei coragem para perguntar como iria ser a volta, o Álvaro, amável anfitrião, gracejou: -“ para começar vamos subir ali a Montemor depois vamos subir a Moninhos e depois vamos subir a …” rapidamente percebi a mensagem, mais uma tareia daquelas.

Em pleno alcatrão e já depois de passar pelas hortas e por trinta e sete cães nervosos, olhei para baixo para fazer a última inspecção à bike antes de começar a subir, o pedaleiro Ok, os pneus Ok os pedais de…Pum Pum Pum, Catrapum, guiava a bike apenas com a mão esquerda, sem dar conta o João tinha parado a escassos metros de mim, quando levantei a cabeça fui atingindo por um raio de sol, instintivamente pressionei a manete esquerda a fundo. Não sabia se havia de rir ou de gemer, as dores do joelho avivaram-me todas as lesões ganhas ao longo dos anos no futebol e no basket, acabara de hipotecar toda a volta, parecia só ter uma perna.



Iniciamos a longa subida de 6km junto ao Palácio do Correio Mor, ao longo da subida a vista ia-nos revelando outros picos por onde já passamos e a planície onde desejava estar, muitos minutos depois lá chegamos ao topo de Montemor, paragem obrigatória para saborear a paisagem e recuperar muita da energia despendida.



Era hora de começar a curtir, fizemos uma descida calminha com lombas ao estilo das pistas de BMX, depois uma repleta de pedras, mais uns cães a quererem as pernas do Brites e singletrack para descontrair antes da subida para a Quinta de Perdigueira.


Era certo que a malta de Loures nos queria dar uma coça, estavam era um pouco indecisos quanto ao sitio para o fazer, andamos para trás e para a frente algumas centenas de metros até que, finalmente, enveredamos por uma descida arborizada cheia de curvas e contra curvas que só terminaria na Fonte de Santo Amaro de A dos Cãos. Um espectáculo, a descida e o nome da terra. Pausa para o boneco, para digerir algumas barritas e as emoções da descida.


Rolamos alguns metros por asfalto de modo a preparar a enorme subida até Moninhos, o zunir das hélices intensificava-se à medida que nos aproximávamos lentamente do topo. Avistamos o mar, o Palácio da Pena e claro a aldeia de A dos Cãos.



Serpenteamos o trilho ladeado de cinzas, uma imagem desoladora que infelizmente se repete por este pais fora. Os tons cinza fortes e as histórias das quedas de quem por ali já passou, provocaram-me algum formigueiro, era a parte mais divertida do percurso mas não queria deitar tudo a perder. Estávamos em Bolores, o trilho rápido em forma de bossa, antecedia a espectacular descida para Ponte de Lousa. O João (de Loures) queria mostrar a vontade de ser um dos nossos, tentou trazer algumas pedras que saltavam à sua passagem, até que, lá se jogou ao chão para agarrar umas quantas, nada de grave! Aproveitei a paragem para descer o selim (é já um hábito) e lá vai disto, olhos fixos no trilho para evitar distracções como a do início do percurso, mão leve no travão e deixa a gravidade fazer o resto. A cara é aquela que alguns já conhecem, a de enorme satisfação

.

Para a volta ser completa no que a BTT diz respeito, ainda passamos um ribeiro na zona da Murteira para apanhar o trilho ascendente, depois foi rolar em alcatrão até ao carro aproveitando para fazer as despedidas pelo caminho.
Foram 36km repletos de novidades, trilhos variados e de grande cavaqueira, a volta das Lezírias ficou para uma próxima oportunidade.

Até lá, boas trincadelas!

4 comentários:

Pirex disse...

Eh eh eh, este tipo está cada vez melhor. Hugo, a foto que mostra o cabeço de Montachique e a ponte da crel sobre o Barro é um espectáculo. E phonix, subir de Loures até lá cima... vai lá vai...... vou ler outra vez :)

detestei ter ficado em casa....

Abraço

Pirex

Brites disse...

Este Hugo está um mister no que toca a reportagens... Deviamos alterar o nick para Trinca-Repórter...
Já partilho da opinião que o Boss tinha há uns tempos: "Não sei se gosto mais dos passeios ou de reviver os momentos quando leio as reportagens..."
Quanto à voltinha, também não sabia o que me esperava... já conhecia a subida a Montemor, mas não suspeitava que teria de repeti-la...
O resto do passeio foi quase toda novidade, exceptuando apenas a descida de Bolores para Ponte de Lousa... Desta vez não tirei tanto proveito porque a minha suspensão estava pouco colaborativa...
Pirex, tens de fazer a descida para A-dos-Cãos... Um ESPETACULO!!!

Abraço.

Ass: Trinca-Tudo

JT disse...

Pirex, como eu te entendo.

Isto não é humano. Um tipo em casa e este gajos nisto!!

Alvaro disse...

Trincas obrigado por mais uma manha de BTT c excelente companhia!
um abraço enorme p todos, espero k tambem tenham gostado.
temos k combinar um passeio conjunto c os 100Maos!
Álvaro