11 novembro 2008

Finalmente o Cabeço

O último fim de semana de Outubro ficou reservado para mais um passeio na Póvoa da Galega, "um mais" que não tem qualquer conotação depreciativa ou tom enfadonho, é sempre um prazer pedalar nesta região, é sempre mais um passeio um execelente passeio, mais uma agradável surpresa. A recepção ficou por conta do Nuno (Gadget) e do João (Tuga), eu, o Boss, o Tudo e o Vermelho fomos vitimas dos seus treinos intensos. O Pirex ainda a recuperar da sua lesão, dormia a escassos metros do ponto de encontro.
Começamos por trepar alguns kilometros por alcatrão, eu e o Vermelho fizemos questão de acompanhar o ritmo imposto pelo Nuno, mal sabíamos o que nos esperava, devia ter desconfiado quando vi o Tudo a subir calmamente. Finalmente em terra começamos por descer, depois subir, voltar a descer e depois de passar por uns quantos túneis (não há túneis só em Belas) subimos uma parede que deitou a malta abaixo. O esforço foi tanto que o Rui rasgou os calções, a chegar ao topo soltou o seu AHHH característico, uma velhota que por ali passava ao ouvir tal desabafo e ao observar tão atraente rasgão traseiro suspirou profundo, ai aiiii...
A volta estava a ser espectacular 25km excelentes de terrenos variados, singletracks, pedra solta, estradão, mas sempre com os olhos postos naquele cabeço. Era inevitavél tínhamos de o subir, o Pirex e malta tinham descoberto o trilho de ligação e agora ansiavam por mostrá-lo. Sempre olhei para aquele topo com respeito e com curiosidade, talvez por ele já ter recebido neve (ver maratona Sobreiro Curvo), talvez por achar graça ao seu nome e à confusão que gera, talvez por ouvir relatos das paisagens que dele se avistam...os pensamentos vagueavam enquanto martelava os pedais, e tinha muito tempo para pensar pois aquela parede parecia não ter fim. O Brites foi o primeiro a conquistar o topo e o único a fazê-lo montado. Que vista, que sensação, estávamos no topo do Cabeço de Montachique uma vista deslumbrante que nem a falta de fôlego impedia de desfrutar.
Tiramos algumas fotos, avistamos a Serra D’Aire, Arrábida, Sintra e Montejunto indescritível !!!








A descida soube melhor com direito a salto no fim e tudo, andamos mais 17 km por trilhos excelentes e lindos, singletracks rápidos e descidas alucinantes, completamos assim 42 km de BTT fantástico. No final o Pirex estava à nossa espera para relatar toda a sua recuperação, vê-se nos seus olhos a ansiedade de voltar a pedalar e, nós, de o acompanhar .

Até lá, boas trincadelas!!!!

4 comentários:

Pirex disse...

Nem imaginam as saudades que tenho disto. Amanhã vou começar a correr na rua... Ah ah ah, tão tarda tem-me á perna. yuuuuuppppiiiiiii

Mais um grande post Hugo.

Abraço

Pirex

Férias disse...

Pirex, a malta torce para que recuperes rápidamente, este fim de semana fizemos mais uma volta espectacular, mesmo ao teu jeito, o Brites tirou N fotos para postar.
Abraço

JT disse...

Já tinha saudades deste posts. Valem bem a pena.

Um dia vamos ver isto com muita, muita saudade.

Isto hoje está para a lamechice.
Paulo quando escreves?

Brites disse...

Hugo,

Mais uma grande reportagem! Fazes lembrar-me o Alex a escrever... ou melhor o Alex é que escreve como tu...

Quanto à voltinha foi muito fixe. Já conhecia o percurso todo, mas vale sempre a pena...

Só não percebi o porquê de todos desmontarem na subida ao Cabeço de Montachique... ;-)

Abraço,

Ass: Trinca-Tudo