12 março 2012

Trincas na Serra d´Ossa - Estremoz II

Esta volta foi decidida um pouco em cima do joelho e de facto veio a revelar-se mais um grande dia de BTT.
O menu compreendia a saída de Estremoz com destino à Serra D´Ossa e regresso por Évora Monte.
A malta de Lisboa saiu às 7 da manhã e encontrou-se na área de serviço de Vendas Novas. Daqui saímos em caravana até Estremoz. Estavam o Rui com o Leonel, O Brites com o JT e eu com o João e o Nuno.



Chegados ao ponto de partida, encontramos a malta do BTT Almonda. Esta gente sabe mesmo o que anda a fazer. Seguiram na noite anterior. Dormiram na auto-caravana do Roque e de manhã estavam prontinhos para começar a pedalar. A grande novidade que eles trouxeram foi um atrelado “home maid” que vai fazer muita inveja ao pessoal que vive disto. Este atrelado leva 10 bikes bem acondicionadas e deixa antever muitas aventuras para a malta de Torres Novas.



Era altura para preparar as máquinas, equipar e fazer os primeiros alongamentos do dia. Já saímos perto da 10 da manhã e conforme a previsão meteorológica já se sentia o calor a apertar.



Aqui, encontramos a malta de Estremoz que nos ajudaram com o percurso. Iam fazer a sua volta de estrada. Obrigado pela vossa ajuda.






Lembro-me de alguém ver, mais tarde, que o termómetro marcava 29 graus. É muito para quem vai pedalar uma distância destas. Isto obriga sempre a consumir bastante água e pelas minhas contas eu devo ter bebido pelo menos 4 litros dela.



A progressão foi-se fazendo sempre com boa disposição. Pusemos a escrita em dia com os Almondas e fomos apreciando as vistas.













Trinca Tudo, foste um valente.




Foi já perto do km 15 (mais coisa menos coisa) que o inesperado aconteceu. Recebo uma chamada e do outro lado chutam “Pirex, cai” gritei “Malta o Trinca Tudo foi ao chão”. Ninguém acreditou. Mas a voz dele não deixava espaço para cenas e arranquei para trás à procura dele e assim fizeram todos. Ele ficara bem para trás. Pudera… Demos com ele em pé, mas um pouco desorientado. O resto já o JT referiu e eu mais não digo. O que digo é que este gajo é rijo e foi impressionante ver a força de espírito que mostrou ao continuar a volta até ao fim. Debaixo de um calor tremendo e com escoriações a necessitarem de betadine e gelo.







Depois deste incidente que preferimos deixar de lado, fomos experimentar o single track que a malta de Estremoz andou a cavar à mão. Eles avisaram que era difícil. Sim é, pessoalmente achei pouco divertido pois obriga a velocidade muito reduzida e como o piso estava muito solto e nem sequer permitia aderência para brincar. Pode ser que com o tempo o chão fique mais estável.


Depois desta descida, dirigimo-nos para a serra propriamente dita. Tinhamos pela frente uma subida de 6 kms que nos levaria ao ponto mais alto do dia, quase nos 700 metros. Dura, sempre a massacrar. Mas lá chegamos e ali fizemos outra pausa. A vista era realmente assombrosa. Para um lado estava Estremoz, para o outro o Redondo, e noutro Évora Monte.













Hum... tenho as antenas todas à minha volta e o telefone não têm rede... que m..da.


Havia que descer, e aqui todos me passam à frente. Sempre em estradão o que dá para, aqueles que melhor dominam as 2 rodas, atingir boas velocidades.


Roque, isto é lindo :)



Se olharem para o gráfico que o JT publicou, vão reparar no sobe e desce que fizemos daqui para a frente e só assim se compreende como fizemos quase 1900 metros de acumulado em pleno Alentejo.
Aqui andamos a apanhar o pó que um grupo de jipes andavam a levantar. Ainda por cima eram mais que muitos.




O papagaio está sempre a palrar, mas eu chego primeiro aos cumes eh eh eh.


Estão a ver... o Alentejo é plano...









Pelo caminho ainda paramos numa quinta que naquele momento nos pareceu um Oásis. Uma fonte de água fresca que permitiu um muito valioso abastecimento desta e também algum descanso enquanto os proprietários nos recebiam. Obrigado pela água.


Todos doridos mas sempre a rir :)










Furos, correntes partidas, muito pó em cima das máquinas foram as questões técnicas que tivemos que lidar ao longo da volta. O JT levou uma bike de teste com roda 29. Não gostou e eu consigo compreende-lo. Aqui é mais para quem quer correr sem partes técnicas. Pelo menos é o que eu acho.





Já com 50 kms nas pernas, chegamos a Évora Monte onde alguns de nós procuraram novo reabastecimento.
Depois subimos ao castelo, para descer pelo melhor percurso do dia. Pelo menos para mim. Pena que não tenha habilidade para tirar fotos naquele tipo de descida pelo que quem quiser saber como é terá que lá ir.
















Dai para a frente foi o regresso a Estremoz. Uns, em melhor estado, pedalavam com relativa “frescura”, outros, mais aflitos, com paragens para tratar das cãibras e outros, faziam piscinas para trás e para a frente na tentativa de manter o grupo unido até ao fim.













E assim foi já com o sol a pôr-se no horizonte.
Eu gostei muito desta volta e aproveito para avisar a malta que está agendada nova saída para o mês de Abril mais precisamente dia 21.
Objectivo -  Serra da Freita no maciço da gralheira.
Fiquem atentos.

Abraço, as melhoras a todos.
Pirex

10 comentários:

Nuno Vilhena disse...

Quem inventou a história do Alentejo ser plano, é por nunca ter pedalado por lá, é mais fácil fazer a Serra da Estrela.
Uma palavra para a bravura do Trinca Tudo ou Cão reporter conforme o caso.
Exelente volta em magnifica companhia, venha outra fora de portas....

Abracos

Nuno Vilhena

JT disse...

Pirex, estás um Trinca Reporter que é uma maravilha.

Grande volta, parabens ao Trinca Tudo pela força de vontade e também ao Leonel que fez uma estreia em grande.

Leonel Alegria disse...

Excelente relato... parabéns Pirex. Gostei muito.
Já estou recuperado, mas com algumas dores musculares... a Serra D'Ossa ainda me persegue... eheheh. Mas valeu o esforço!

Abraço
Leonel

Brites disse...

Grande relato Pirex! Estás armado em Trinca-Repórter! Muito bom.
Quanto À volta, foi quase perfeita! E não digo que foi perfeita, porque tive um ligeiro encontro imediato com o chão! Não me perguntem como cai, só sei que cai! FElizmente estou bem e a recuperar.
Obrigado pelas palavras e preocupação. Agora é hora de pensar na próxima que esta já foi.
Abraço,
Ass: Trinca-Tudo

Pirex disse...

Brites, especifica. Estás a pensar na próxima volta ou na próxima que... olha, será na Serra da Freita é isso.
Já sei que vamos comer bikes... pelo menos foi o Cão Pédia que sugeriu. Achas que estamos bem recomendados?
Já agora, reconheço que me inspirei no teu modelo de reportagem. Acho que te queria fazer uma homenagem. E repara bem que não coloquei as fotos do Rui a limpar-te os beiços...

Abraço
Pirex

João Pires disse...

Tudo perfeito.
As melhoras para trinca tudo (andas amanhã?).
Adorei as lagartixas e outras coisas mais da tasca do Isaias.
Obrigado aos bombeiros voluntários da terra que foram impecáveis.
E tudo está bem quando acaba bem.
Abraço.
Até á próxima.

Trinca Tuga

Anónimo disse...

Cinco estrelas Trincas! Já deu para ficar a roer-me de inveja...efectivamente o Alentejo é um must!
Abraço,
Tiago

Alex disse...

Pessoal,
a julgar pelo excelente relato do Pirex, já vi que fizeram uma grande volta.
Brites, pelo que percebi deves ter tido uma queda feia, por isso, desejo-te rápida recuperação.
Abraço,
Alex

Pirex disse...

É Alex, aquilo estava a chamar por ti :)
Vê la se te orientas para a Serra da Freita.

Abraço
Pirex

José Matos disse...

Boa reportagem Pirex, e como sempre muito boas fotos.As melhoras ao "Trinca Tudo"