13 dezembro 2010

Tratamento VIP

Neste domingo houve novidades. Ressacados com a eliminação do Sporting da Taça de Portugal, lá aparecerem 8 trincas na Povoa da Galega, uns com mais entusiasmo do que outros. Os habitués Pirex, Matos e Brites foram para outras paragens e o grupo ficara reduzido mas, numa das rotundas de Monsanto, o Trinca Boss conseguiu resgatar dois Trincas desaparecidos, o Bip Bip e o Lights, que acabaram por o seguir até este paraíso do BTT.
O João e o Nuno estavam à nossa espera cheios de entusiasmo, tinham preparado uma recepção especial, e que bem que esta gente dos TPOs nos recebe.
Rolamos em alcatrão para aquecermos antes da subida para os Casais da Serra e para a pausa do café, a tempo de sermos brindados (ou direi torturados?!) com um cheirinho matinal a pão quente. O pessoal estava bem-disposto e a pedalar a um bom ritmo. O Boss, que anda cheio de energia, começou a sentir que o pelotão iria impor um ritmo forte e começou a arranjar desculpas para parar de 500 em 500 metros, ora era um barulhinho do desviador ora era um barulhinho das pastilhas, enfim, um sem número de artimanhas para abrandarmos o ritmo.


Depois de uma paragem mais longa para olhar para as bikes, lá enveredamos pelos trilhos traçados pelos TPOs. Quando escrevo traçados não estou a inventar, eles abriram mesmo trilhos que se encontravam fechados por densa vegetação. Eu sugiro a divulgação destes trilhos como forma de preservação dos mesmos. Estes trilhos em formato singletrack passeiam-nos por paisagens tipicamente saloias, montes e vales frequentados por caça e seus predadores domingueiros que põem qualquer betetista em sentido. Um pequeno paraíso que importa preservar.

A lama foi companheira ao longo deste percurso, o que nos levou a encurtar a volta para uns escassos 25 km, sendo os últimos 5 em alcatrão. No final da etapa mais uma surpresa dos TPOs, uma lavagem automática para por as nossas meninas a brilhar, 2.5euros foram o suficiente para lavar as 8 bikes, sapatos, bolsa de ferramentas e tudo o que tivesse lama.







Antes de regressarmos a casa voltamos à padaria para adquirir as especialidades da terra, todas elas servidas quentes e com muita simpatia.
Um especial agradecimento ao João e ao Nuno por nos terem guiado por estes lindos trilhos e ao Pirex que também contribuiu para o desenho dos mesmos. Um pedido: não os deixem fechar até o tempo melhorar.

Até lá, boas trincadelas...

5 comentários:

Nuno Vilhena disse...

Promoção de Inverno, vem á Galega e ganha um tratamento á pele grátis, lama de qualidade superior para pessoas exigentes....
Desculpem lá alguns trilhos estavam durinhos, mas isto para estas bandas não dá para evitar, são sempre bem vindos e obrigado pela vossa presença.

Abrs.

Nuno Vilhena

João Tremoceiro disse...

O Hugo está em forma, tanto no teclado como no BTT.

Da minha parte também um grande agradecimento ao Nuno e João. Para que fique registado, no fim ainda deu para meter pastilhas novas na minha bike (eu fiz o trabalho com supervisão próxima do Nuno e João).
Uma ideia, podiamos montar um negócio. Loja de bicicletas "self-service". O pessoal ia à loja e fazia a maior parte do trabalho básico (lavagens, lubrificação, afinações, mudar pastilhas, etc.) com supervisão de um funcionário competente. A infra-estrutura era minima, sendo o lucro da venda de peças, trabalhos especificos e aluguer do espaço. Que tal?

Pirex disse...

JT, parece-me bem a tua ideia de negócio. Acho que para além de inovadora seria um sucesso.
Agora em relação à volta, fiquei surpreendido por ver que eram tantos. Não estava à espera. Mas ainda bem.
Agora onde é a volta no domingo????? Vá lá, eu preciso de pedalar :)
Abraço
Pirex

João Tremoceiro disse...

Este fim-de-semana não estou cá. Vão pedalar sem mim.

Anónimo disse...

Bem, estás a ficar em forma! Não te estragues com as guloseimas de Natal ....:)
Obrigado João e Nuno pela óptima volta, temos que repetir aqueles single tracks em floresta portuguesa, com tempo seco.
Abraço,
Tiago