07 janeiro 2008

Rio da Mula III

Quando vi que o TrincaAlex ia aparecer, devia ter pensado duas vezes no que me ia meter. O Homem parece uma máquina a subir e a descer a serra, conhece os caminhos todos, anda para trás e para a frente, a subir e a descer, como se aquilo fosse a lezíria ribatejana, plana. É de ter respeitinho.
E o respeitinho tem-se pelo homem e pela Serra de Sintra, que é magnífica. O tempo ajudava, fresco, sem chuva, mas com uma neblina e muita humidade, que transfigurava completamente o cenário, deixando que em algumas passagens até passassemos a gostar das acácias e sucedâneos.
Os cogumelos eram às toneladas, o que motivou logo uns apelos a uma procura por doping alucinogéneo por parte do TrincTuga. Pela forma como ele está a andar, parece-me ter encontrado a razão pela qual desapareceram todos os cogumelos ao pé do carro do TrincaPirex ...
Chegado a este ponto da crónica omito propositadamente o martírio a que me submeti e passo logo para ...
os Capuchos onde estive á espera do resto da malta. Eles demoraram-se mais porque se perderam de mim (again) e andaram às voltas a divertirem-se em trilhos engraçaditos. Se não fosse aquela paragem nos Capuchos acho que rebentava de tal maneira que ainda andavam por lá a procura de pedacitos de TrincaDoc.
Também quem me manda levar um daqueles aparelhos que apita quando a máquina fica muito acelerada. Aquilo é psicológico. E é essa a única razão pela qual andei mais devagar nas subidas (não há mais nenhuma razão, a sério).
Para mim a volta começou verdadeiramente quando subimos ao Monge, porque depois de estarmos lá em cima resolvemos inventar e metemo-nos por um trilho que nem o Alex conhecia. Nós bem perguntamos a um artista do downhill o que é que ele achava e ele disse que aquele era giro e tal e era para meninos (palerma). É claro que já estive em elevadores menos inclinados. E não tinha de levar bicicleta às costas.
Só lá não estava o gajo dos gatos a dizer, que aquilo é plano, quer dizer inclinado, a bem dizer muito inclinado tipo parede, mas com pedregulhos e muita lama para diminuir a fricção!!!

Os ALL Black na serra de Sintra antes da descida para meninos

Enfim foi divertido, muito divertido e tivemos hipótese de tirar mais meia dúzia de fotos para a galeria dos horrores. Eu fiz mais uma que causou impacto cá em casa.

Aposto que o gajo do downhill não consegue pendurar a bicicleta ...

O melhor e o pior ficou guardado para o fim. O pior, a magnífica (a esta distância) queda do Hugo que deu para assustar mas que se revelou consistir em hematomas, equimoses, arranhões, esfoladelas, cortes, roupa rasgada, selim para o lixo, mas pelo menos nada partido. A assistência, há que dizê-lo foi boa, eu ganhei experiência nos ultimos tempos e tive oportunidade de a pôr em prática. Mas temos mesmo de passar a levar connosco um estojo de primeiros socorros (se for preciso vai rodando por todos).

O melhor, mas o melhor mesmo, mesmo é a descida no singletrack das pontes. Que coisa mais linda, fantástica, deliciosa e que vale todos, mas mesmo todos os hematomas, equimoses, arranhões, esfoladelas, cortes, roupa rasgada que esta actividade de vez em quando proporciona. Já mo tinham recomendado, mas fazê-lo é inesquecível. Brites, Hugo, Tiago, TrincaRed, e outros que possam arrastar, para a semana fazêmo-lo uma, duas, três, quatro, as vezes que eu conseguir pedalar para cima outra vez.

Já não chega o traçado que é de uma qualidade fantástica, bem desenhado, cheio de curvas largas, apertadas, estreitadas entre acacias e outras árvores, com lombas altas, baixas, seguidas de pontes em madeira da esquerda para a direita e, da direita para a esquerda, com passagens rápidas em troços aparentemente fáceis. Já não chega o traçado, temos ainda de "levar" com as cores, os cheiros, o som da água a correr, os fetos verdes a crescer nas margens, o verde escuro dos musgos entumescidos pelo excesso de água, o solo da floresta salpicado de cogumelos ás toneladas. Tão lindo que apetece descer da bicicleta e ficar a apreciar.

Mas de que trilho é saiu o TricaTuga

Um mimo de trabalho a quem os TrincaPedras agradecem.

É claro que o fizemos com calma. Eu fartei-me de encostar o ombro e até o capacete, para ajudar a fazer as curvas mais apertadas, parei quando era preciso uma mudança rápida no carreto, mas quando puder fazer isto um bocadinho mais depressa ....

assim, vrummmm ...

3 comentários:

Pirex disse...

Fantástico Paulo, foi assim mesmo. Fico muito contente por estares de volta.
Agora cenas á parte, como é mesmo essa cena dos cogumelos???? :)

Grandes trincadelas

Pirex

João Tremoceiro disse...

O PAULO VOLTOU e em forma.Tu não podes parar pá, fazes falta .....

A tua bicicleta pendurada causou alguma preocupação cá em casa. Tive de explicar que aquilo era só encenação.

Quanto ao trilho das Pontes alinho contigo, aquilo tem de ser repetido, e muitas vezes…

Pólvora disse...

Lol! Brigado pelo comentário no blog PLnauta!