25 abril 2014

Grande Rota do Zêzere - 2ª etapa

Como referi no post anterior, a primeira etapa começou com a descida do Vale Glaciar do Zêzere. Este vale já tinha sido feito naquela volta que faz Manteigas-Torre-Manteigas mas, essa desce na parte superior com vista do vale em baixo. Desta vez, foi mesmo pelo vale, com o Zêzere como companhia, o qual o Nuno diz que é de não perder, é único!! Apesar de gelado... satisfeito!
Passagem pelo Vale da Amoreira a seguir a manteigas, com um fabuloso singletrack, onde foi surpreendido por um veado com 60 kg. O cheiro a estêvas foi o perfume da manhã.
O singletrack termina ao lado da pista do skiparque. Despois do parque foi sobe e desce até Valhelhas.
De Valhelhas rumou a Belmonte, tendo perdido as marcações da GRZ a 6km de Belmonte, talvez uma das partes inacabas. Sem o track (que não coincidia com as anteriores marcações que vinha a seguir)  e sem as marcações passou a ser a azimute, sendo o destino o Castelo. Belmonte foi uma agradável surpresa, quer a parte da Comunidade Judaica quer o Castelo, fica a nota de que merece nova visita.
Perdidas as marcações da GRZ, não mais as encontrou e, uma vez fora do track que tinha, a partir daqui foi improvisar até à zona da Covilhã.
Com o caudal elevado não estava fácil a passagem para a outra margem até que, com a ajuda de um local lá encontrou uma ponte férrea que o levou à outra margem e daí montes e vales até Canhoso, terminando perto da Covilhã.
Foram um total de 80 Km com 1700 m de acumulado.

Hoje começou a segunda etapa mas, a partir daqui será em real autonomia. A minha vinda só se conjugou na Covilhã, hoje, por questões académicas/profissionais, eu sigo para Norte e o Nuno para Sul...
Permitam-me revelar a minha parte lamechas e dizer-vos que fiquei com o “coraçanito” apertadinho ao vê-lo seguir sozinho... Hoje não terá quem o leve a jantar, quem lhe lave o equipamento, quem lhe faça as sandes para amanhã, nem quem o recolha... de hoje até domingo estará por sua conta e risco :o)
Eu vou à Maia, este ano cidade europeia do desporto, falar sobre a resiliência no contexto desportivo e levo comigo o melhor exemplo de uma pessoa/atleta resiliente!!

A partida de Alcaria, zona da Covilhã, foi às 9h30 com 7 graus, bem melhor que ontem. O objectivo para hoje é chegar a Janeiro de Baixo.



Pessoalmente encontramo-nos Domingo mas, sempre que possível, registarei a aventura do Trinca-Gadget.

Resta continuar a desejar força nas canetas!!!


Tânia Mira 

7 comentários:

João Pires disse...

Shalom.
Muita força.
Vai tudo correr bem.

João Pires disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Galvão disse...

Mais uma Vez, é com muito agrado que vejo o desenrolar dessa aventura. Parabéns pelo que já está feito e coragem para o que ai vem. Pessoalmente tb tenho o sonho de poder fazer tal trajecto na íntegra, mas como a oficialização do mesmo tarda, vejo através dos trincas uma boa hipótese de recolher informação necessária para esse projecto. Também escrevo num Blog: http://nezclinas.blogspot.pt/
...e cálculo o que seja essa aventura...
Gostaria de pedir se me podem fornecer os tracks GPS do percursos que estão a efectuar.
Atenciosamente,
João Galvão ( gilgalvao@gmail.com )

Tânia disse...

João Pires,
obrigado :o)

João Galvão,
O Nuno não tem acesso à internet e existem algumas alterações, até agora, ao track planeado. Quando o Nuno terminar envia os tracks. É sempre bom partilhar.

Tânia Mira

Tânia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joao Tre disse...

Nuno, grande maluco. Pernas, sorte boas pedaladas.

João Galvão disse...

OK, Obrigado pela partilha e atitude...É reciproca....
Quando houver novidades por certo que "postarão" por aqui...
Boas reportagens, e melhores pedaladas...