17 julho 2010

Trincas na Serra da Estrela (Versão Oficial)

Há já alguns anos que vinha a desafiar o Pirex para fazermos uma das nossas grandes voltas anuais na Serra da Estrela... 2010 foi o ano...

Após alguns adiamentos e remarcações de datas, e apesar da ausência de um grande número de Trinca-Pedras, 03 de Julho de 2010 acabou por ser o tão aguardado dia de subida à Serra da Estrela...

Aproveitando a deslocação à Estrela e a proximidade com Torres Novas, convidei também o BTT Almonda para se juntar à comitiva... Ao todo, eram 8 bravos BeTeTistas com bastante vontade de vencer as agruras da Serra da Estrela...

Pirex - Trinca Pirex
João Pires - Trinca-Tuga
Nuno Vilhena - Trinca-Gadget
Zé Matos - Trinca-Ampolas
Jorge Matos - Trinca-Power
Luis Brites - Trinca-Tudo/Cão Repórter
João Gonçalves - Cão Guia
Carlos Marchão - Cão Picas

Como não poderia deixar de ser, Pirex, Tuga, Nuno e Zé, viajaram na véspera, tendo ficado a passar a noite no Campo de Campismo de Valhelhas a cerca de 17kms de Manteigas, onde teria o inicio a subida à Estrela... Para quem conhece as personagens em causa, pode imaginar o programa de festividades... A única diferença face ao habitual foi o facto de os TPOs não terem transportado a cozinha com eles... Ou seja, perdeu-se uma parte importantissima do programa de festividades, próprio destas ocasiões...

O ponto de encontro estava marcado para as 6h15m em casa do João Gonçalves... Escusado será dizer que o Brites apareceu já passavam das 6h30m... Com as desculpas do costume... Claro...

Após montagem das bicicletas no carro (do povo) do Marchão (Opel é carro do povo... LOL...), seguimos viagem em direcção à Estrela... Cerca de duas horas até Manteigas, já com a paragem para o café incluida...

Chegados a Manteigas, já os Trinca-Pedras estavam preparados para pedalar...


Antes da partida, pose para a foto de familia...


No inicio da subida... O tempo estava muito bom para pedalar... Sol e cerca de 23º a 24º, o que permite pedalar sem dificuldades... Aqui o pelotão ainda dentro de Manteigas...


Irmãos Matos... Zé e Jorge...




Vista de Manteigas sobre o Vale Glaciar... Do outro lado, era possivel observar os caminhos por onde iriamos descer no final do dia para chegar a Manteigas...


E a vista para Nascente de Manteigas...


O pelotão começava a subir... E claro... A temperatura do corpo começava a disparar, bem como os medidores de frequência cardiaca... Antes de entrarmos na terra, lugar a uma pequena paragem para retomar o fôlego, porque já estavamos quase com 100 metros de desnivel acumulado e ainda nem tinhamos começado a pedalar hà 15min...


O caminho inicialmente planeado pelo Pirex ia directo à Pousada de São Lourenço, sempre por asfalto, mas o Cão Picas sugeriu seguirmos um caminho por atalho de terra, que iria levar-nos igualmente à Pousada... O que ele não disse é que esse atalho envolvia carregarmos as bicicletas às costas no meio da vegetação densa e alta...





Estavamos apenas no inicio da volta... E já assim???


[...]


Trinca-Tuga...


Já no topo da subida de Manteigas e na chegada à Pousada de são Lourenço... Com o Vale Glaciar lá bem ao fundo...


A Pousada de São Lourenço...


O Observatório Metereológico das Penhas Douradas...


E sobe... E sobe... E sobe...




Já nas Penhas Douradas, a cerca de 1420metros de altitude...





A caverna do Viriato...

Para os mais distraidos, aquele senhor de azul lá em baixo não é o Viriato... Tem ar de Guerreiro Lusitano, mas que eu saiba nunca defrontou nenhum Romano... (Vai na volta... Quem sabe já limpou alguns...)
Para os mais curiosos sobre a História de Portugal(http://en.wikipedia.org/wiki/Viriathus).

Trinca-Gadget...


A chegada ao novo Hotel de Charme (Casa das Penhas Douradas)...





Algumas casas de Turismo de Habitação semeadas em plena Serra...



A descida para o Vale do Rossim...



A barragem do Vale do Rossim... E os Guias dos respectivos Grupos Trinca-Pedras e BTT Almonda...


A paisagem era espetacular, o tempo estava agradável e a água cristalina da barragem estava convidativa... Não foi preciso muito para o pessoal se convencer a ir ao banho... Os que foram, garantiram que a água estava quente... Como não fui, não posso atestar, mas pelo tempo que estiveram ao banho, quase que consegui sentir a água quentinha da Serra da Estrela...









Após aplicação do choque térmico às pernas, seguimos caminho... O Cão Guia estava a gostar tanto do banho que acabou por ser o último a sair da água, tendo-se atrasado e acabando por se perder da restante comitiva...

Video do Vale do Rossim 1


Video do Vale do Rossim 2


Aqui à espera do Cão Guia...

Depois do Cão Guia se juntar de novo ao pelotão seguimos por um caminho com muita pedra solta e debaixo de um sol que começava a aquecer, fazendo disparar a temperatura corporal...



Vista sobre a aldeia mais alta de Portugal... A aldeia do Sabugueiro...



Mais à frente nova paragem para apreciar a paisagem sobre o Sabugueiro e sobre as formações rochosas da Serra da Estrela...




Onde está o Wally (Pirex)???


Velhos dos Marretas...


Barragem do Lagoacho


Paisagem Lunar...



Paisagem um bocada enfadonha, não acham???







Video logo após a Barragem do Lagoacho 1


Video logo após a Barragem do Lagoacho 2


A partir daqui as coisas iriam começar a complicar um cadinho... As descidas e as partes rolantes deram lugar às subidas... Começamos a partir daqui a subida para a Torre... A partir daqui seriam cerca de 10kms sempre com o nariz encostado ao guiador...

A Lagoa Pequena




Logo depois, chegamos à Lagoa Comprida, tendo o Cão Picas aproveitado para repor os niveis energéticos... E ainda bem que o fez neste momento, caso contrário, não teria conseguido chegar à Torre... Entretanto, alguns elementos dos TPOs protagonizaram uma fuga bem ao jetio do “Tour de France”, tendo o Pirex levado a melhor sobre o Zé Matos com uma vantagem de cerca de 2 mins... Pelo menos, foi o que ouvi dizer...

O paredão da Logoa Comprida...


Xiiiiiiiiii...


Mais uma vez... Os Velhos dos Marretas... Sempre a resmungarem um com o outro...


Não... Não faltam 1993 metros para chegar à Torre...


Panorama sobre a Lagoa Comprida...



E a primeira vez que avistamos a Torre...


TÃO LINDOOOOSSSS...


Estão a ver esta imagem??? Pois...

Esta imagem iria repetir-se por várias vezes ao longo da subida para a Torre... Uma sequência de “Subida-Descida-Subida-Curva-à –Direita” repetida umas 4 ou 5 vezes e que ia matando definitivamente o Cão Picas... Por várias vezes, tivemos de aguardar que ele se juntasse a nós para não se ir abaixo...

Ainda tão longe...


MARCHÃO... TÁS CAVALÃO...


Uma coisa que nos fomos apercebendo ao longo da subida, foi que a Serra estava quase deserta (sem carros... sem pessoas... sem movimento...) e com muitos ciclistas de estrada.. Se alguns destes ciclistas tinham um aspecto amador, já a grande maioria deles aparentava estar ali a preparar-se para a volta a Portugal que terá lugar já no próximo mês de Agosto... Já na Torre viriamos a confirmar este facto, em conversa com dois ciclistas do Paredes – Rota dos Móveis... Bem como, alguns de nós avistamos o Cândido Barbosa durante a subida para a Torre...

Dois ciclistas de Estrada...


A chegada à Torre...



A Foto de Familia na Torre... O ponto mais alto de Portugal... A 1993 metros de altitude...


Durante a paragem na Torre, houve ainda tempo para comer uma fatia de Regueifa, um bolo tipico da região... Além de comerem, alguns ainda aproveitaram para levar para casa...
E após atingirmos o ponto mais alto de Portugal, não há por onde fugir... Temos mesmo de descer... E aquilo que demorou horas a subir, foi feito em apenas alguns minutos a descer...

Ficam aqui algumas fotos da descida até Nave de Sto António...








E o video...


O objectivo seguinte era o Poço do Inferno... Para lá chegar, tomamos a descida em asfalto do Vale Glaciar e depois tomamos o caminho de terra em direcção ao Poço do Inferno...


O inicio do Vale Glaciar...


E uma panorâmica geral sobre o Vale Glaciar, com Mantegias ao fundo...



A bicicleta mais bonita do pelotão... LOL...


Paisagem... Isto é mesmo aborrecido... LOL...







Nesta descida, quase que senti o chão a roçar-me nas costas... Seguia a toda a velocidade na descida e a ultrapassar o Trinca-Ampolas, quando algumas valas a atravessar a estrada decidiram proporcinar-me um valente susto... Valeu apenas pelo susto... A partir daqui desci mais controlado...

O inicio da descida para o Poço do Inferno...


O Pirex a descansar...


O vale do Poço do Inferno...


E o Poço do Inferno...



Como não poderia deixar de ser... Uma volta de BTT não pode ficar completa sem uma banhoca ao ar livre...


Video do Banho no Poço do Inferno 1


Video do Banho no Poço do Inferno 2


Regresso a Manteigas...



E a chegada a Manteigas...


O Gang dos TPOs preparadissimo par aregressarem ao Parque de Campismo de Valhelhas para um banho na praia fluvial seguido de umas bejecas na esplanada do café central...


As Bikes amontoadas no reboque do Zé...


Foto de familia BTT Almonda...


Após arrumarmos as bikes no carro do povo, dirigimo-nos aos Bombeiros locais para uma banhoca retemperadora... Estava um calor abafado... Ao olharmos na direcção da Torre, apercebemo-nos que se não estava a chover, também não devida faltar muito...

Depois da banhoca, durante a qual houve tempo para massacrar a paciência do Cão Picas, pelo facto de nos ter deixado para trás durante a volta de Santiago de Compostela, aproveitamos o tempo de espera para uma bebida numa esplanada local...

O jantar estava marcado para as 19h30m num Restaurante escolhido a dedo pelo Pirex... E nestas coisas de cozinha, que ninguém se atreva a contrariar o Pirex... O homem tem cheiro para a coisa... Se ele diz que é bom, é porque é bom... Aliás... O homem pasosu o dia a fazer publicidade à morcela grelhada em cima de uma rodela de maçã... Enfim a coisa prometia... O Cão Guia é que já salivava por todos os lados...

Chegada a hora lá nos dirigimos a Valhelhas, onde nos aguardavam os restantes elementos dos TPOs...


(Tremoceiro!!! Estás a ver o que perdeste??? Tás??? Então ainda não viste nada... Espera...)

E como não podia deixar de ser... Às 19h30m lá n os dirigimos ao Restaurante... Escusado será dizer que fomos abrir o Restaurante... Ficamos instalados numa mesa no cantinho da sala, com vista directa sobre as bikes... LOL...

Dos vários pratos à escolha, houve quem optasse pela Vitela no Tacho, Polvo à moda da Serra, entre outras iguarias que já não me lembro... LOL... Mas a cereja no topo do bolo seriam as entradas... Ficam as fotos... NHAM NHAM...
(Tremoceiro... Estás a ver??? Estás a ver???)



A foto de familia com os comensais todos à mesa...


O peixe...


O polvo...


E a vitela...


E as sobremesas... (Buffet... À discrição...)


Mas o melhor ainda estava para vir... Ou melhor... Para viver... Foram momentos de convivio que só mesmo estando lá para se sentir...

No final do dia o sentimento era geral... Que grande dia de BTT... Que percurso espetacular... Que sentimento espetacular aquele de chegar à Torre... Que companhia tão agradável... E que jantar espetacular...

Sem dúvida... Fica na memória... Sem dúvida... A repetir...

Um abraço,

Ass: Trinca-Tudo/Cão Repórter
PCCRB

4 comentários:

João Tremoceiro disse...

Quantos Kms tem esta reportagem?
Como se eu já não tivesse suficiente inveja vem este tipo com uma reportagem deste tamanho...

Pirex disse...

Sabes JT, há voltas que marcam o curriculum do gajo. E esta foi uma delas :). JT a malta só te perdoa quando formos a Bragança.
Grandes filmes Brites. Quando é a próxima?

Abraço
Pirex

disse...

Grande reportagem. Gostei particularmente dos videos. Parabens Brites. Aquele salto para o poço do Inferno foi muito fixe. Aqules que não foram podem aki ter um cheirinho do que foi este passeio. Venha o próximo. Abraços

Anónimo disse...

´Só hoje é que vi a reportagem, Brites parabens. JT organiza a tal volta. Zé podias contar a cena dos vezinhos que não te deixaram dormir.

Trinca Tuga